terça-feira , janeiro 23 2018
Home / Notícias CRFMT / Notícias / Vacinação em farmácias, uma nova perspectiva do farmacêutico na comunidade: da implantação à técnica

Vacinação em farmácias, uma nova perspectiva do farmacêutico na comunidade: da implantação à técnica

Este minicurso de 6 horas de duração dará aos participantes o conhecimento teórico necessário para a aplicação de vacinas e uma noção geral de como implantar procedimentos de vacinação em farmácias. A dupla de farmacêuticos Beatriz Lott (MG) e Leonel Almeida (RS) preparou um programa que vai desde as necessidades de infraestrutura até as técnicas de aplicação de vacinas, com abordagem sobre os aspectos técnicos e legais que envolvem sua implementação.

O minicurso também apresentará formas de registro e documentação do atendimento, incluindo a notificação de reações adversas, dentre outros temas, que o farmacêutico deve conhecer para implantar e realizar a vacinação em farmácias.

Beatriz, mestre em Educação em Diabetes pela Santa Casa de Belo Horizonte, com mais de 10 anos de experiência em cursos, oficinas educativas e palestras, com ênfase em terapia com injetáveis, explica que as técnicas de aplicação de vacinas serão apresentadas de forma teórica, com abordagem sobre todos os cuidados anteriores e posteriores à administração. “Ensinaremos as boas práticas que devem ser executadas desde o acolhimento, anamnese, separação dos materiais necessários, preparo da vacina, administração até o monitoramento do paciente posterior à injeção”.

O conteúdo proposto ensinará como estruturar esse procedimento numa farmácia. Leonel atuou por mais de 10 anos na área privada e implementou serviços farmacêuticos em farmácias do Rio Grande do Sul, com resultados clínicos e financeiros significativos. Ele mostrará a infraestrutura necessária para se prover a vacinação em farmácias, além das mudanças necessárias para que se possa dar sustentabilidade e aplicabilidade a implantação desse procedimento.

Para Leonel, esta é uma grande oportunidade de o farmacêutico se inserir na comunidade, mas precisa ser implementada de forma a tornar o serviço viável dentro do processo de trabalho da farmácia. “Não adianta somente oferece-lo, ele tem que ser sustentável. Abrir um novo espaço tem um custo e o Consultório Farmacêutico precisa trazer rentabilidade às farmácias e aos farmacêuticos”.

Regulamentação

As farmácias têm, desde 2014, permissão para dispor de vacinas e soros para atendimento à população, mas, na prática, apenas as clínicas de vacinação podem prestar esse serviço à população. A regulamentação é urgente e necessária para que a Lei nº 13.021/14 venha, de fato, a beneficiar a população. Alguns estados já definiram as suas regras próprias para a aplicação de vacinas em farmácias, entre os quais, Santa Catarina, Paraná e Rio de Janeiro. A expectativa é que, encerrada a consulta pública Anvisa n° 328/17, a agência publique uma resolução padronizando as normas sanitárias de forma a finalmente permitir a ampla participação das farmácias e dos farmacêuticos nessa importante ação de saúde pública.

Fonte: Comunicação do CFF
Autor: Murilo Caldas

Sobre Luiz Antônio Perlato

Luiz Antônio Perlato
Luiz Antônio Perlato (jornalista) CRF/MT - Conselho Regional de Farmácia do Estado do Mato Grosso R. 06, Quadra 11, Lote 07 - Cuiabá/MT (65) 3619-5200 / Fax (65) 3619-5202.

Além disso, verifique

Ampliada validade de registro de produtos para saúde

A Diretoria Colegiada da Anvisa aprovou, nesta terça-feira (16/1), uma norma que amplia o prazo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *